Perguntas Frequentes (FAQs)

O que é erosão costeira?

    A erosão costeira acontece sempre que o mar avança sobre terra e mede-se em termos de taxa de recuo médio ao longo de um período suficientemente longo, de forma a eliminar a influência do estado do tempo, de tempestades e dos movimentos locais de transporte sedimentar. Os impactes (ou riscos) causados pela erosão são:

  • Perda de terrenos com valor económico, social ou ecológico;
  • Destruição de sistemas de defesa costeira naturais (sendo os mais comuns, os sistemas dunares) como consequência de eventos singulares de tempestade; este facto resulta no aumento da vulnerabilidade a inundações de zonas interiores muitas vezes localizadas a cotas inferiores;
  • Infra-escavações das obras de defesa costeira que potencialmente aumentam o risco associado à erosão e inundação.

    Os processos de erosão e acreção costeiras sempre existiram e contribuíram no curso da história para modelar as paisagens costeiras Europeias, configurando uma grande variedade de tipos de costa. Em algumas áreas, a erosão de zonas interiores induzida pela precipitação e movimentos ao longo das margens fornece uma quantidade significativa de sedimentos. Estes sedimentos conjuntamente com os de origem na erosão de formas costeiras (tais como arribas e bancos de areia) fornecem o material essencial para o desenvolvimento de recifes, zonas lodosas, zonas húmidas (salinas), praias e dunas. Por outro lado, estes ambientes costeiros providenciam uma imensa variedade de benefícios, nomeadamente localizações óptimas para as actividades económicas e recreativas, protecção contra a inundação de zonas baixas, dissipação da energia das ondas durante tempestades, redução da eutrofização de águas costeiras, assim como zonas de nidificação para a fauna. Dependendo do seu tipo, as medidas de mitigação da erosão costeira podem gerar novos problemas noutras áreas.

    A erosão costeira resulta usualmente da combinação de factores, naturais e antrópicos, que operam a diferentes escalas. Os mais importantes factores naturais são: o vento, as tempestades, as correntes junto à costa, a subida relativa das águas do mar (a combinação do movimento vertical da terra com a subida das águas do mar) e o deslizamento de taludes. Entre os factores antrópicos capazes de gerar erosão encontram-se: as intervenções de engenharia costeira, os aterros, a artificialização das bacias hidrográficas (especialmente a construção de barragens), as dragagens, a limpeza de vegetação e a extracção de água e gás (fonte: www.eurosion.org)


Quais os impactos das alterações climáticas no processo de erosão?
 
O principal factor que influencia as taxas de erosão costeira é, no caso de Portugal, a redução da quantidade de sedimentos que chega ao mar (devida na sua maior parte à construção de barragens e extracção de areias), mas também alguns fenómenos característicos das alterações climáticas, nomeadamente a subida do nível médio do mar e a rotação da direcção predominante das ondas, que tem fortes implicações na deriva sedimentar Norte-Sul ao longo da costa ocidental portuguesa, havendo mesmo simulações que apontam para uma amplificação de 12-15% na erosão costeira até 2100. Os impactos das alterações climáticas vêm assim somar-se ao processo já acelerado de erosão no litoral português.(fonte: projecto SIAM II).